29/03 - Contabilidade na TV

O InovAtiva Brasil já contribuiu para o crescimento de muitas empresas inovadoras e isso só é possível graças aos mais de 20 parceiros que contribuem para a realização do programa. Entre eles, estão as aceleradoras privadas de startups, que desempenham um papel fundamental para empresas em um estágio mais avançado, em processo final de validação do negócio ou já ganhando escala. Para ajudar essas startups, as aceleradoras disponibilizam infraestrutura, investimento, suporte em inteligência de negócios e muito networking. 

O secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Vinícius de Souza, explica que o objetivo do InovAtiva Brasil sempre foi complementar e se integrar aos instrumentos privados de apoio a startups. “O InovAtiva é o primeiro passo para qualquer startup do Brasil captar recursos e conquistar clientes. Isso significa que, em geral, selecionamos e aceleramos empresas inovadoras em estágio mais inicial, para que depois elas acessem as aceleradoras e demais oportunidades do mercado mais bem preparadas”, afirmou. 

Com aporte de investimento e um acompanhamento mais próximo e intensivo das startups, as aceleradoras têm condições de aprofundar a preparação oferecida pelo InovAtiva. Por isso, destaca Souza, dez das principais aceleradoras do país estão conectadas e, nessa parceria, participam do programa de várias formas - convidam mentores da suas redes para o InovAtiva Brasil, contribuem para os cursos de capacitação on line (como a ACE, com o seu CEO Pedro Waengertner) e participam dos Bootcamps e Demodays InovAtiva para auxiliar na mentoria e prospectar novas startups para seus portfólios. 

“É importante esse alinhamento entre os parques tecnológicos, e o InovAtiva vai ao encontro das necessidades de mercado, especialmente das startups, e segue a estratégia do Sebrae de atuação em cadeias de valor dentro do ecossistema de inovação“, assinala a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. Segundo ela, o apoio das aceleradoras é importante para estruturação das startups, colaborando para que sobrevivam e cresçam em mercados cada vez mais competitivos. 

Uma das mais ativas nessa parceria com o InovAtiva é a Ventiur, localizada no Parque Tecnológico Tecnosinos, em São Leopoldo (RS). A aceleradora é formada por uma rede de investidores e parceiros que, juntos, investem e auxiliam no desenvolvimento de startups em todo o Brasil. Cerca de metade das startups aceleradas vem de fora do estado, como revela Sandro Cortezia, CEO da Ventiur. “Temos como estratégia uma atuação próxima aos Parques Tecnológicos e ambientes de inovação, pois acreditamos que são nesses locais que surgem as melhores startups. Temos também um processo criterioso de avaliação e seleção, sendo um de nossos diferenciais o processo de pré-aceleração (Warm-up) em que, ao mesmo tempo em que capacitamos e validamos as startups, selecionamos os melhores times”, explica.   

Em Recife (PE), a Jump Brasil é o braço de empreendedorismo do Porto Digital. A aceleradora é responsável por tocar e desenvolver os programas de capacitação de novos negócios, com programas que atendem a todos os níveis de maturidade das startups. “Nosso programa inicial é o Mind the Bizz, que consiste num programa de pré-incubação com duração de dez semanas, passando pelo conceito de ideação até a validação do MVP (Mínimo Produto Viável). Nossa colaboração com o InovAtiva Brasil faz total sentido, pois ambos buscamos o mesmo objetivo: capacitações dos novos negócios. A edição do Bootcamp em Recife ano passado foi realizada dentro das nossas dependências e realizamos a indicação de mentores para o programa”, revela André Araújo, head de aceleração da Jump Brasil. 

Para mais dicas de outras aceleradoras, acompanhe as novidades e notícias diárias no site do InovAtiva Brasil

Por: Agência Sebrae de Notícias

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

0 comentários:

Postar um comentário