04/04 - Contabilidade na TV

O preço nominal médio do m² para venda no Brasil atingiu o valor de R$ 4.800,00 no primeiro trimestre de 2017, tendo desvalorização nominal de 1% em comparação com o mesmo período de 2016 (R$ 4.848,00). A média dos três primeiros meses do ano retornou ao mesmo patamar que apresentava no último trimestre de 2015 (R$ 4.800,00), sendo a terceira queda seguida do valor. Em relação ao último trimestre de 2016 (R$ 4.846,00), a desvalorização também foi de 1%. O levantamento foi realizado pelo VivaReal (www.vivareal.com.br).

O DMI-VivaReal (Dados do Mercado Imobiliário) contempla uma amostra de 30 cidades em diferentes regiões do País e considera mais de 2 milhões de imóveis usados disponíveis para compra ou aluguel. Clique aqui para acessar a íntegra da pesquisa relativa ao primeiro trimestre de 2017.

O DMI-VivaReal também revela as cidades com maiores valorizações no preço nominal médio do m² para venda no primeiro trimestre de 2017, em comparação ao período anterior. As 10 localidades do estudo que registraram maior alta no preço são:

Em relação ao último trimestre de 2016, apenas 5 cidades apresentaram desvalorização da média do preço nominal de venda no primeiro trimestre de 2017: Natal (-3,42%), Brasília (-1,63%), São Paulo (-0,87%), Niterói (-0,67%) e São Bernardo do Campo (-0,12%).

O Índice DMI-VivaReal também listou as principais cidades brasileiras que estão com os valores de venda acima da média nacional (R$ 4.800,00/m²). Brasília lidera a lista com o valor do m² mais caro ao atingir R$ 8.111,00 e é seguida por Rio de Janeiro (R$ 7.310,00), São Paulo (R$ 6.825,00), Recife (R$ 6.207,00), Vitória (R$ 5.755,00), Porto Alegre (5.217,00), Salvador (R$ 5.143,00), Santos (R$ 5.091,00) e Florianópolis (R$ 5.077,00).

Procura por imóveis de até 100 m² é maior que a oferta

O índice DMI-VivaReal também acompanha a demanda de venda por imóveis. No primeiro trimestre deste ano, 48% dos consumidores procuram por imóveis de 51 até 100 m² e a oferta relativa para esse tipo de moradia é de 42%. Já as residências entre 101 a 150m² representam 19% da oferta relativa e 18% dos consumidores buscam por essa metragem. No que diz respeito ao número de dormitórios, 42% procuram imóveis de dois dormitórios e 41% estão em busca de três quartos, enquanto a oferta relativa é de 35% e 43%, respectivamente.

Em faixa de preço, 38% das pessoas procuram por imóveis de R$ 171 a R$ 350 mil e a oferta desses imóveis é de apenas 28%. Apesar da demanda por imóveis acima de 1 milhão ser de apenas 8%, a oferta é de 19%.

Ranking dos bairros mais procurados para venda no primeiro trimestre de 2017
  1.     Vila Mariana - São Paulo
  2.     Tatuapé - São Paulo
  3.     Barra da Tijuca - Rio de Janeiro
  4.     Recreio Dos Bandeirantes - Rio de Janeiro
  5.     Ipiranga - São Paulo
  6.     Vila Prudente - São Paulo
  7.     Itaquera - São Paulo
  8.     Boa Viagem - Recife
  9.     Móoca - São Paulo
  10.     Pituba – Salvador
Ranking dos bairros mais caros para venda no primeiro trimestre de 2017

Os 10 bairros mais caros do Brasil estão concentrados principalmente no Rio de Janeiro (6) e em São Paulo (3), com uma exceção, Santa Catarina.
  1.     Leblon (RJ) – R$ 21.800,00
  2.     Ipanema (RJ) – R$ 20.238,00
  3.     Lagoa (RJ) – R$ 17.333,00
  4.     Vila Nova Conceição (SP) – R$ 16.607,00
  5.     Gávea (RJ) – R$ 16.245,00
  6.     Jardim Europa (SP) – R$ 15.652,00
  7.     Jardim Botânico (RJ) – R$ 15.385,00
  8.     Urca (RJ) – R$ 14.000,00
  9.     Barra Sul (SC) – 13.638,00
  10.     Jardim Luzitânia (SP) – R$ 13.333,00

Sobre o DMI

O DMI-VivaReal (Dados do Mercado Imobiliário) é um relatório setorial do mercado imobiliário, realizado pelo VivaReal desde 2013. O objetivo do levantamento é oferecer informações sobre preço, oferta e demanda de imóveis para consumidores e profissionais do setor, tornando mais transparente o processo de aquisição e locação de imóveis.

Por: Viva Real

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

0 comentários:

Postar um comentário