03/05 - Contabilidade na TV


De janeiro a março deste ano, a balança comercial do Estado de São Paulo registrou um superávit US$ 407,4 milhões. No período, as exportações somaram US$ 13,2 bilhões, um avanço de 9,4% na comparação com os mesmos meses de 2016. Já as importações do trimestre registraram US$ 12,8 bilhões, um crescimento de 5,4% ante o ano anterior. Os dados municipais foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Na análise de cada uma das 39 diretorias regionais (DR) do Ciesp realizada pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) e pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, São José dos Campos ficou em primeiro lugar no Estado em volume de exportações, que foram puxadas pelas rubricas de combustíveis minerais, aeronaves e aparelhos espaciais e também veículos automóveis. Foram US$ 2 bilhões entre janeiro e março de 2017, um aumento de 54,9% ante US$ 1,3 bilhão exportados em 2016. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 697,6 milhões, 34,5% menos do que no primeiro trimestre de 2016.

Na segunda posição do levantamento, a região de São Paulo alcançou US$ 1,8 bilhão em exportações no acumulado de janeiro a março de 2017, cifra 10,4% menor que o acumulado no mesmo período de 2016, US$ 2 bilhões. Os principais produtos da pauta foram os açúcares e produtos de confeitaria (32,4% do total vendido).

Além disso, a região ficou com o primeiro lugar em volume de importações, com US$ 2,4 bilhões, um crescimento de 9,7% em relação ao importado no primeiro trimestre do ano passado, dessa vez com ajuda das vendas de máquinas, aparelhos e materiais elétricos. A balança comercial da DR de São Paulo teve o quarto pior desempenho entre as diretorias, um déficit de US$ 632 milhões contra um déficit de US$ 204,8 milhões no acumulado de janeiro a março de 2016.

Por fim, a DR de Santos ficou com o terceiro lugar no ranking de exportações, com um volume de US$ 1 bilhão no primeiro trimestre de 2017, 10,7% mais do que foi exportado no mesmo período do ano anterior, US$ 918,9 milhões.

No primeiro trimestre de 2017, o saldo da balança brasileira também ficou superavitária, em US$ 14,4 bilhões, contra um superávit de US$ 8,4 bilhões em 2016. As exportações do país bateram em US$ 50,5 bilhões de janeiro a março, uma alta de 24,4% ante o ano passado, enquanto as importações acumularam US$ 36 bilhões, um crescimento de 12% na análise trimestral.

De acordo com diretor titular do Derex, Thomaz Zanotto, o resultado da balança comercial do Estado reflete a importância de um câmbio equilibrado. “Desde janeiro do ano passado, o real se valorizou mais de 20% ante o dólar, o que já provoca uma recuperação das importações. Por outro lado, seguimos competitivos em exportações de maior valor agregado, como aviões e automóveis. O câmbio apreciado segue um problema brasileiro que compromete as exportações e subsidia as importações.”

Clique aqui para ter acesso ao levantamento na íntegra e à série histórica.

Por: Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário