29/05 - Contabilidade na TV

Os beneficiários de programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família, ganharão um incentivo para tomarem empréstimos com juros baixos. O Conselho Monetário Nacional (CMN) alterou as regras de destinação dos 2% dos depósitos à vista que os bancos são obrigados a destinar a empréstimos de microcrédito.

Pelas novas regras, os saldos das operações de microcrédito produtivo orientado, que financiam a abertura de pequenos negócios, poderão ser multiplicados por dois na hora de avaliar o cumprimento da exigência mínima de 2%. Para cada R$ 1 emprestado, a instituição financeira poderá registrar R$ 2 no Banco Central.

Esse fator de multiplicação valerá a partir de julho e poderá ser aplicado apenas em operações de crédito com tomadores registrados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Estímulo
De acordo com o Banco Central (BC), o fator de multiplicação estimulará os bancos a destinar a oferta de microcrédito para o público de renda mais baixa. Isso porque recursos que seriam emprestados para mutuários de maior renda não terão o mesmo incentivo para o cumprimento dos 2% dos depósitos à vista.

“A aplicação do fator de multiplicação incentiva as instituições financeiras a direcionar a oferta de microcrédito para o público de renda mais baixa, aumentando as oportunidades de ocupação produtiva dos beneficiários dos programas de assistência social”, informou o BC em comunicado.

Edição: Armando Cardoso

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário