23/05 - Jornal do Comércio RS


A Medida Provisória (MP) que autorizou o saque do dinheiro de contas inativas do FGTS corre o risco de não ser votada a tempo pelo Congresso Nacional, em razão da crise política que atinge o governo após o presidente Michel Temer ser atingido pela delação do grupo JBS. A medida perde a validade na próxima semana e, caso não seja votada pela Câmara e pelo Senado antes disso, trabalhadores nascidos entre setembro e dezembro perderão o direito de sacar os recursos. 

A MP perde a validade em 1 de junho. O Palácio do Planalto e o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), dizem que há acordo para votar a proposta nas duas casas legislativas antes disso. Em campanha pela renúncia de Temer e por eleições diretas para presidente, porém, a oposição nega acordo e diz que vai obstruir a votação. "Não tem acordo sobre nada. O País está em crise", afirmou o líder da oposição, deputado José Guimarães (PT-CE).


Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário