16/05 - O Estado CE


Entre 2015 e 2016, o avanço do desemprego e a procura por novas fontes de renda, em plena crise do País, fez com que o número de microempreendedores individuais (MEI) aumentasse 13,6% no Nordeste. A Região já detém 1,24 milhão de pessoas cadastradas no Portal do Microempreendedor, montante que representa 19% do total de cadastros do país, a segunda maior participação. Os dados divulgados, ontem, são do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão vinculado ao Banco do Nordeste.

Grande parte (72,3%) dos microempreendedores estão concentrados em quatro Estados: Bahia, Ceará, Paraíba e Pernambuco. Somente no Ceará, 206.179 pessoas já atuam nesta condição. A quantidade representa crescimento de 14,7% em relação a 2015 e equivale a uma participação de 16,6% entre os nove Estados nordestinos. Os maiores crescimentos registrados, além do Ceará, foram em Paraíba (17%), Rio Grande do Norte (15,5%) e Pernambuco (14,8%). Segundo o Etene, parte do atual contingente de desempregados pode estar migrando para um negócio próprio, uma vez que o faturamento permitido para o enquadramento como MEI é considerado relativamente baixo (R$ 60 mil bruto por ano, com tolerância de 20%, além de ter o recolhimento de impostos simplificado).

Crediamigo

Os microempreendedores individuais contam com o apoio do Crediamigo – maior programa de microcrédito produtivo da América do Sul, do Banco do Nordeste. Em 2016, o programa atendeu 174 mil clientes do segmento, 17% a mais do que em 2015, e liberou mais de R$ 903 milhões, por meio de 315 mil operações de crédito.

Clique aqui para continuar lendo.

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário