20/07 - Carla Lidiane Müller para Notícias Contábeis do Contabilidade na TV*


A EFD-Reinf está chegando, e o que as empresas querem é ter uma estrutura eficiente para atender a essa nova obrigação acessória sem altos custos.

Alguns custos não há como se livrar, como o de mão de obra qualificada, sem isso mesmo com um bom investimento em ferramentas tecnológicas, não há garantias que as informações que estiverem sendo transmitidas estão corretas.

Mas o fato é, com a vinda da EFD Reinf, vem junto uma oportunidade de as empresas revisarem seus custos. A tendência é que com a EFD Reinf, os processos de cálculo e envio da CPRB, DIRF e DCTF sejam melhorados.

A EFD Reinf envolve basicamente os seguintes impostos: retenções de IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS, cálculo da CPRB e as contribuições previdências pagas pelo produtor rural nas vendas.

Como a EFD Reinf só será entregue a partir de 1º de janeiro de 2018 para as empresas que tiveram faturamento superior a 78 milhões em 2016, e 1º de Julho para as empresas com faturamento em 2016 até 78 milhões, ainda tem algum tempo, mas já é interessante verificar e revisar os processos de apuração destes impostos, e ver o que pode ser melhorado para atender a EFD Reinf.

A EFD Reinf não será uma declaração tão simples de ser projetada, pois diferente do que estamos acostumados, ela não será no mesmo formato que o EFD ICMS/IPI e as contribuições.

Por exemplo, o arquivo não será no formato TXT, e sim XSD, e serão gerados vários XSD por eventos, e teremos a possibilidade de efetuar múltiplas transmissões de uma mesma competência.

Para que a sua empresa consiga se adaptar e ter processos eficientes rodando para o envio da EFD Reinf, a primeira revisão que aconselho é com relação as notas fiscais de serviços, tenha certeza de que as notas estão vindo com as informações corretas, principalmente no que se refere as retenções.

Também é importante ver qual o nível de conhecimento que o setor fiscal tem com a relação existente entre prestador e tomador de serviços, isso ajudará a entender se não tem retenções sendo cobradas indevidamente.

Essa revisão de processos, pode ajudar a empresa a encontrar falhas até então não percebidas, e que podem estar custando caro a empresa.

Pesquisar e buscar ferramentas tecnológicas para sua empresa, como ferramentas que ajudem não só na geração do arquivo, mas também verificando inconsistências nas informações, é outro ponto de destaque para que seus processos tenham eficiência, e maior produtividade quando 2017 chegar.

A Reinf trará impactos positivos, pois as informações nela contidas, e a forma que está estruturada vai obrigar muitas empresas a se organizarem melhor, e com os pilares focados na qualidade das informações declaradas, na atenção aos detalhes das regras da EFD Reinf, adoção de ferramentas fiscais especializadas, não há como a empresa se perder dentro da EFD Reinf.

*Carla Lidiane Müller - Bacharel em Ciências Contábeis, cursando MBA em Direito Tributário. Trabalha na SCI Sistemas Contábeis como Analista de Negócios e é articulista do Blog Contabilidade na TV desde 2016. 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário