20/07 - Contabilidade na TV


Não é de hoje que os serviços da Junta Comercial de Mato Grosso, é alvo de reclamações constantes dos que usufruem de seus serviços, a escassez da mão de obra qualificada e a tecnologia de informação defasada, além de outros tantos problemas, impedem que o serviço seja realizado com a qualidade devida. Diante desta realidade, os representantes da classe contábil somaram forças junto com demais representantes do comércio do Estado, no último dia 17 de julho, para levar a conhecimento do governo a precariedade dos serviços que assusta muitos empresários.

Durante reunião provocada com o governador Pedro Taques, foram enfatizados meios de desburocratização, modernização das instalações, aperfeiçoamento da mão de obra, e principalmente a importância do olhar prioritário para a considerada autarquia arrecadadora do Estado, e porta de entrada para novos comércios de fomento ao desenvolvimento de Mato Grosso.

Taques reconheceu a necessidade de melhoria na Jucemat, mas avisou aos presentes que o Estado não tem verba para investir. “Temos que pensar em outros planos, como parcerias entre os setores público e privado. No momento o Estado tem outras prioridades, mas entendo que além dos prejuízos causados para os empresários, o Estado também deixa de arrecadar. Vamos trabalhar junto com o empresariado para traçar melhorias”.

A presidente da Jucemat, Gercimira Rezende, disse que hoje o tempo para abertura de uma empresa no Estado pode levar de 30 a 60 dias para conclusão, enquanto em Góias por exemplo o mesmo processo leva de 12 a 24 horas. Ela também expôs ao governador que atualmente a Junta conta com apenas 54 funcionários, e somente um colaborador para o trabalho de TI, o que atrasa e muito a viabilidade de muitos processos.

De acordo com Gercimira, o necessário seria pelo menos o dobro de servidores, além da modernização tecnológica.  “Com a implantação da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e Legalização de Empresas e Negócios, a Redesim, teremos mais agilidade nos processos, mas precisamos de condições para colocar em pratica o novo sistema”.  A Redesim foi estabelecida nacionalmente em 2007 pela Lei nº 11.598 e, desde então, Estados e municípios vêm se adequando para fazer parte dela. O objetivo é desburocratizar o processo de abertura de empresas, através da integração de todos órgãos responsáveis.

O presidente do Sescon/MT, Ironei Márcio Santana, argumentou que o problema não pode mais se sustentar, uma vez que o Estado é o que mais perde. “Por causa desses problemas expostos, muitas empresas deixam de investir em nosso Estado, e o que está sendo feito? Se nos encontramos sem verbas para investimentos, é porque assuntos de prioridade como este não foram antes priorizados e agora nós iremos cobrar e ajudar em um plano conjunto para melhorias. O que não podemos é continuar aceitando tudo como está”.

Diante dos problemas, o governador cobrou dos secretários do Governo atenção para ajudar com soluções e alternativas de melhorias.

Durante a reunião alguns pontos importantes ficaram esclarecidos, como a migração de funcionários de outras repartições e a contratação de terceirizados. Ficou decidido que em 15 dias será apresentado pelas entidades envolvidas um plano estratégico ao governo do Estado, de melhorias para a Jucemat. Sobre a TI, será solicitado apoio a Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI), Sebrae, em conjunto com a Facmat.

“Acredito que diante do que foi tratado e traçado, daqui 60 dias já teremos uma agilidade melhor na Junta Comercial”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico Carlos Avalone.

No encontro com o governador participaram representantes do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRC-MT), presidente Silvia Mara Leite Cavalcante, do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas de Mato Grosso (Sescon-MT), os diretores Milva Alessandra Cavalheiro e Amauri Menacho, Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), Robson Neves, Glaucia de Paula Kida, Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat), presidente Jonas Alves, Junta Comercial do Estado do Mato Grosso (Jucemat), presidente Gercimira Ramos, secretário Adjunto de Empreendedorismo e Investimentos, Leopoldo Rodrigues Mendonça e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec), Carlos Avalone.

Por Assessoria de Imprensa Sescon/MT

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário