14/11 - Contabilidade na TV

A população começa a se beneficiar e sentir no bolso os efeitos de medidas que organizaram as contas públicas e recolocaram o País nos trilhos do crescimento. Mais emprego, queda dos juros e preços menores já podem ser observados no dia a dia das famílias.

Além de mais feijão, arroz e carne na mesa, os brasileiros também estão sentindo mais tranquilidade no orçamento familiar. Com a mudança de cenário, veio a retomada de investimentos e a geração de empregos.

Uma virada de 180 graus ao que o País vivia antes de maio de 2016, quando Michel Temer assumiu a Presidência da República. Hoje, empresários e os consumidores estão mais confiantes. A inflação acumulada em 12 meses caiu de 10,71% em janeiro de 2016 para 2,70% em outubro de 2017.

Até setembro de 2017, o País criou 106,4 mil postos de trabalho. Situação bem diferente do ano passado, principalmente antes de maio. Na época, o quadro era outro: milhões de pessoas perdiam suas principais fontes de renda.

Exportações
Depois de adotar medidas para tornar o Brasil mais competitivo no mercado internacional e facilitar o comércio com outros países, as exportações caminham para fechar o ano em valor recorde. Até outubro, o País vendeu mais de US$ 183,48 bilhões para o exterior, e, até o fim de 2017, esse número deve crescer ainda mais.

Com esse desempenho dos produtos brasileiros no exterior, a balança comercial (diferença entre exportações e importações) está favorável para o Brasil, positiva em US$ 58,47 bilhões. Isso significa que nós vendemos mais do que comprados dos estrangeiros.

Medidas de desburocratização facilitaram os processos de remessas dessas cargas para o exterior, diminuíram o tempo para conseguir uma autorização de venda e o prazo de espera para embarque desses itens em portos, aeroportos e na alfândega. Acordos com países importantes no comércio internacional também ajudaram a incrementar essa pauta de exportação.

Esses números são importantes para a retomada do emprego e do crescimento. Quanto mais o País vende para o exterior, mais riqueza ele gera e mais postos de trabalho podem ser abertos. Aumento de exportações tem impacto positivo direto no Produto Interno Bruto (PIB).

Por Governo do Brasil, com informações do Ministério da Fazenda e do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário